Joias de formatura renovam as tradições

Publicado em: 27/01/2020


Peças têm uma importância sentimental e emocional muito grande pelo que representa

A tradição de presentear formandos com anel vem do século 19, mas com o passar dos tempos sofreu adaptações. O hábito foi mantido, mas adequado aos novos tempos. Fabricantes e profissionais de design investem na beleza e visual dessas peças que representam muito mais do que apenas um anel.

O início dessa tradição foi no século 19. Naquele tempo a classe burguesa usava esse elemento como uma distinção para diferenciar aqueles que estudavam em uma universidade. Desde aquela época, o anel já trazia o símbolo com a pedra correspondente ao curso que a pessoa estudava.

- A joia funcionava como uma comunicação não verbal. Era indelicado, na época, fazer um questionamento verbal para saber se a pessoa frequentava uma universidade ou não. Hoje, o anel passou a ser usado na conclusão do curso e não mais durante a realização dos estudos. É geralmente presenteado por um familiar selando a conquista da conclusão dessa etapa da vida do estudante – explica a designer Leila Fraga.

Em termos de tendência, não há uma variação muito significativa de um ano para o outro. Por ser uma joia muito tradicional, mantém-se de um ano para o outro. Para Leila Fraga, a tradição está acima de modismos ou tendências, sendo algo permanente.

Além do anel, existem outras possibilidades de presentar os formandos. Brincos, pingentes e pulseiras, por exemplo, são uma opção dependendo do estilo e desejo do cliente.

- Em qualquer peça há um valor material, é lógico, mas a joia de formatura tem uma importância sentimental e emocional muito grande pelo que representa naquele momento da vida da pessoa – completa Leila.

O significado das cores é bastante variado, pela imensa quantidade de cursos existentes, porém de um modo geral o vermelho representa ciências humanas; o verde ciências biológicas e o azul, ciências exatas.

Leila Fraga ministra oficinas e palestras para Associação do Comércio de Joias, Relógios e Óptica do Rio Grande do Sul (Ajorsul). É joalheira formada pela Escola Gaúcha de Joalheria, graduada em tecnologia no Design de Joias pela Universidade Luterana do Brasil, pós-graduada em Artes Visuais: Cultura e Criação pelo SENAC/RS e possui qualificação internacional em Projetos de Joias pela Scuola de Design Orafo Studio Arrais di Firenze.